South Park: The Stick of Truth

South Park: The Stick of Truth South Park: A vara da verdade 1.0

South Park em jogo brilhante adaptado para RPG

Já podemos afirmar: é o melhor jogo do South Park criado. Também precisamos dizer que não foi uma competição muito acirrada. A série de Trey Parker e Matt Stone recebeu uma avalanche de títulos medíocres. Contudo, nós esperávamos algo muito bom da Obsidian Entertainment (criadora de Fallout New Vegas e Star Wars: KotoR II) e não ficamos desapontados com o resultado. Ler descrição completa

PRÓS

  • Adaptação de muita qualidade
  • Botão para controlar seu animal de estimação
  • Engraçado como um episódio
  • Sistema de combate semidinâmico

CONTRAS

  • Não recomendado para quem prefere outro humor
  • Dificuldade um pouco baixa
  • Adaptação para PC

Excelente
9

Já podemos afirmar: é o melhor jogo do South Park criado. Também precisamos dizer que não foi uma competição muito acirrada. A série de Trey Parker e Matt Stone recebeu uma avalanche de títulos medíocres. Contudo, nós esperávamos algo muito bom da Obsidian Entertainment (criadora de Fallout New Vegas e Star Wars: KotoR II) e não ficamos desapontados com o resultado.

Seja um novo personagem do South Park

Desenvolvido em um mundo aberto, South Park: The Stick of Truth oferece uma imersão completa na pequena cidade de South Park, Colorado. Você encarna uma criança recém-chegada à cidade, que pode mudar a aparência - trocar penteado, colocar acessórios... - e escolher uma classe.

Para quem não está habituado ao universo do RPG, classe é uma espécie de profissão. Neste caso, você, o novato, pode escolher entre quatro classes diferentes: guerreiro, mago, ladrão e... judeu. Sua missão é lutar com unhas e dentes para recuperar um artefato lendário chamado de "a vara da verdade", do qual a humanidade depende para continuar existindo. Todos estão sob as ordens do Rei-Mago Cartman e seus fiéis aliados Stan, Kenny Butters, etc.

Os fãs da série sentirão aquela velha sensação de familiaridade com a história e o mundo logo nos primeiros momentos da aventura. Para quem não está acostumado com a série: South Park é ácido, vulgar, provocativo e muitas vezes escatológico. Não jogue se você acredita que humor tem limite. Porque South Park: The Stick of Truth é bastante ofensivo em dezenas de situações.

Além do roteiro, South Park: The Stick of Truth é um jogo de RPG brilhantemente realizado pela Obsidian Entertainment. As conversas são engraçadíssimas - e absurdas -, casando perfeitamente com a exploração em South Park (existem muitas surpresas e missões secretas). Sobretudo o sistema de combate, que não hesita em inovar.

Excelente sistema do combate

Controlando dois jogadores ao mesmo tempo, você enfrentará seus adversários (elfos, mongóis, vacas nazistas...) em combates por turnos, igual ao sistema de RPGs mais antigos, como Final Fantasy e Dragon Quest (hoje, Dragon Warrior). Mas South Park: The Stick of Truth não se limita a usar um sistema antigo mais uma vez. Assim como em Super Mario RPG, você precisa apertar o botão no momento certo durante um ataque para aumentar a força do golpe. A operação requer precisão, mas pode multiplicar o resultado do ataque em algumas vezes e ajudar durante lutas tensas.

Já em relação à versão para PC, South Park: The Stick of Truth não conseguiu o mesmo desempenho. Desde os primeiros momentos é claro que a versão não foi desenvolvida para ser jogada no computador também. Principalmente na questão ergonômica. Os dois botões de ação (uma para atingir o inimigo com sua arma e outra para interagir com o ambiente), tende a confundir rapidamente. E nós gastamos parte do nosso tempo apertando os botões errados.

Os menus e inventários são impraticáveis. É simplesmente necessário jogar com um controle adaptado para não sentir dores no pulso. Pelo menos os desenvolvedores tiveram uma boa ideia: integrar o botão para controlar seu animal de estimação. O resultado final é simplesmente hilariante se você faz seu bichinho interagir com a cidade.

Igual ao desenho animado

Todos que tiveram a oportunidade de jogar South Park: The Stick of Truth rapidamente chegam à mesma conclusão: a impressão de ser um desenho animado é incrível. Os gráficos replicam o visual da série com bastante fidelidade.

Enquanto os jogos anteriores tentaram recriar a aparência dos personagens em 3D, a equipe do game South Park: The Stick of Truth tentou manter o estilo e traço tão característico do desenho. O resultado é de tirar o fôlego e soa como uma produção perfeita.

As dublagens são feitas pelos atores originais da série. São tantos diálogos que temos a impressão de jogar um episódio gigantesco. Quanto à trilha sonora, são temas bem compostos com referência a grandes sucessos (Skyrim a Piratas do Caribe), que encaixam bem ao estilo épico do RPG.

Finalmente, temos um mapa que reproduz com fidelidade a cidade de South Park (oferecendo até uma excursão para o Canadá!). Todos os lugares da série estão presentes no título, inclusive os personagens.

A atenção aos detalhes é o maior possível, mesmo com os limites de atualização de frame por segundo, que prejudica algumas passagens de cenário. South Park o obriga a seguir certos caminhos algumas vezes. Uma pequeno problema para um título em mundo aberto, mas nada prejudicial.

Excelente RPG ou ótimo South Park?

A atração por South Park: The Stick of Truth depende da sua atração pela série. Se você não consegue achar graça no humor provocativo da série, é melhor jogar outra coisa. Se a série não desperta seu interesse, mas você adora RPG, o South Park tem elementos suficientes para entreter. E, finalmente, se você é um fã ávido da série não perca tempo: clique no botão de download para começar esta aventura brilhante!

South Park: The Stick of Truth

Download

South Park: The Stick of Truth South Park: A vara da verdade 1.0

— Opinião usuários — sobre South Park: The Stick of Truth

  • allanfelipeyskaracarlla

    por allanfelipeyskaracarlla

    "Otimo em filmes e em desenhos imaginem em jogos ?! muito bom !!!"

    Um desenho bem louco kkkk muito boom, acho que já fez e faz parte de varias gerações muito bom mesmo ... . Mais.

    escrito em 26 de junho de 2015